(61) 9807-3596 | 3964-0746 contato@luizahair.com.br

tipos-de-aplique-cabelo

Enjoou dos fios curtos e está sem paciência para esperar o cabelo crescer? A vida tem dessas coisas, e entre elas, diversas maneiras de arrasar com apliques capilares. Conheça hoje os tipos mais comuns e fique linda rapidinho.

Um dos queridinhos entre as famosas é o alongamento feito com cola de queratina. Além dele, existem outras três técnicas muito procuradas nos salões dos quatro cantos do país: linha ou nó italiano, interlace e microlink.

Cada aplique tem vantagens e desvantagens, e é indicado de acordo com o tipo de cabelo original. Veja mais detalhes abaixo:

Alongamento com queratina

Mechas bem finas são aplicadas próximas da raiz. A cola utilizada traz a queratina, um componente natural do cabelo. O aplique é ideal para quem busca mechas pequenas, com discreta emenda, lisas ou onduladas.

De todos os métodos, este é o único que só pode ser feito com cabelos humanos. E leva de duas a oito horas para ficar pronto, dependendo da quantidade de fios.

Cerca de três meses depois de aplicado, o alongamento deve ser retirado e recolocado mais acima, para compensar o crescimento.

O ponto negativo é que a retirada pode causar danos por causa do solvente agressivo utilizado no processo. E mais: a queratina derrete com o calor e, por isso, não se deve fazer chapinha ou escova na região da emenda do cabelo.

Interlace

Também conhecido como tela fixa ou entrelaçamento, o método consiste em tranças de raiz, nas quais as telas são costuradas mecha a mecha com fios postiços.

A técnica leva, em média, uma hora e meia para ficar pronta – e com a principal vantagem de ser praticamente imperceptível, inclusive   nos cabelos curtos e franjas.

Outro motivo para aderir ao aplique interlace é que chapinha e escova são liberadas, sem problemas!

A manutenção do entrelaçamento é feita a cada 15 dias, para hidratar os cabelos e refazer o processo. O cuidado frequente é necessário, já que as tranças ficam úmidas e os fios podem apodrecer.

Com linha ou nó italiano

É perfeita para proporcionar mais volume. A técnica é feita com mechas postiças amarradas com lastex nas originais.

Depois de três meses, o alongamento é retirado e reposicionado. É indicado para cabelos afro, pois pode receber chapinha. O ponto negativo é que, nos fios lisos, a linha ou nó italiano pode “mastigar” o cabelo, deixando-o frisado, além de mofar as madeixas sob a linha.

Microlink

por meio dele, o cabelo artificial é preso aos fios originais com tiras de alumínio. Elas são enroladas ao redor das duas mechas, permitindo a formação de um anel. O bom é que, por não recorrer à aplicação direta de qualquer produto, o método agride menos os fios.

O tempo de aplicação dura em média duas horas, sendo necessária manutenção após três meses para recolocação do aplique. Qualquer tipo de cabelo pode receber o Microlink.

Porém, nem tudo são flores. Esta é a técnica de alongamento com    maior possibilidade de queda das mechas antes de três meses de    uso. É que a tendência é mofar debaixo dos anéis – isto quando o cabelo é submetido à umidade ou acúmulo de substâncias químicas.

Qual o melhor aplique para o meu cabelo?

Procure um bom cabeleireiro para conhecer melhor os diversos tipos de apliques, e escolha um de acordo com sua necessidade, estilo e situação da fibra capilar.

Muitas mulheres só descobrem na prática qual o aplique predileto, levando em conta a praticidade que oferece, a higienização fácil, a percepção ao toque, a expectativa em relação ao alongamento e o desconforto ao dormir.

E o que são algumas horas no salão quando comparadas aos meses ou anos que uma verdadeira diva precisaria esperar para ver seus cabelos longos e incríveis? Escolha o alongamento que é a sua cara (ou seria cabeça?), e sucesso! Você merece.

Até breve com mais conteúdo para embelezar sua vida e autoestima!